VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Cidades
28/11/2008

CEI pede ajudar para continuar funcionando

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois
Marcos Zanutto
Gisela Porfírio: ‘‘O telhado está no limite para a segurança das crianças. Quando chove, tudo vira uma cachoeira’’

Problemas no telhado e na fiação elétrica do Centro de Educação Infantil (CEI) Milton Gavetti (Zona Norte de Londrina) precisam ser solucionados até janeiro de 2009 para que a Vigilância Sanitária não interdite o local. A direção do Centro está pedindo a ajuda da comunidade e de empresários para executar a obra, já que a verba arrecadada com promoções não é suficiente para cobrir as despesas com material e mão-de-obra. Quando chove, a água invade a unidade e impede o atendimento dos alunos. Oitenta e cinco crianças de dois a seis anos são atendidas no local.

A presidente do CEI, Gisela de Cássia Porfírio, afirma que o problema se arrasta há um ano e meio, quando uma pequena reforma foi feita no telhado da instituição, que já apresentava problemas com goteiras. ''As telhas que foram colocadas eram muito velhas e o serviço mal feito provocou mais problemas. Hoje o telhado está no limite para a segurança das crianças. Quando chove, não é goteira. Tudo vira uma cachoeira, alagando principalmente a sala do maternal, onde as crianças dormem. Temos que tirar as crianças correndo.'' Junto com a chuva, insetos e folhas também entram pelo telhado.
A verba de R$ 6.560 enviada mensalmente pela Prefeitura de Londrina só pode ser usada para o pagamento de funcionários, encargos trabalhistas e contas de água, luz e telefone. ''Não podemos utilizar esse dinheiro para a reforma e as promoções que fazemos não são suficientes para cobrir os custos com a obra, por isso precisamos de ajuda'', afirma a presidente do Centro, que trabalha como voluntária.
''Se não fizermos a reforma, a Vigilância Sanitária não vai liberar o alvará de funcionamento e o Centro será fechado'', afirma. Cerca de 150 telhas são suficientes para cobrir o telhado do centro. A instituição atende crianças dos Conjuntos Milton Gavetti e Paecambu II.
A presidente do Centro também precisa trocar a fiação elétrica do refeitório das crianças, que foi improvisado e está exposta, colocando em risco a segurança das crianças. ''Já compramos todo o material e só precisamos do serviço da mão-de-obra. Não conseguimos nenhum eletricista na comunidade. Se alguém se habilitar, vai ajudar muito.'' Os serviços e a doação podem ter a entrega de notas que poderão ser descontados no Imposto de Renda. ''Agora o centro está com toda a documentação em dia e precisamos manter o local funcionando''.
Serviço - Quem quiser ajudar pode ligar para Centro de Educação Infantil Milton Gavetti, no fone (43) 3337-1740
Marta Ortega
Reportagem Local
CONTINUE LENDO

SEU DIREITO

PARTILHA DE BENS

Sua Saúde

ANDADOR

Uma rua dividida em duas

Um nome diferente em meio a várias vias com denominações indígenas, a Flamengo ainda é separada pela Avenida Brasília

FALA, CIDADÃO

Quais serão seus principais desafios como prefeito?

Quem deve julgar os índios?

Especialistas debatem se responsabilidade é da Justiça comum ou da Justiça Federal; No PR e SC são oito indígenas presos por crimes diversos

Mais uma família perde tudo em incêndio

Um casal e o neto moravam no imóvel, localizado no Centro de Ibiporã, desde fevereiro; curto-circuto pode ser a causa do acidente

Solidariedade - Londrinenses ajudam desabrigados de SC

Defesa Civil está centralizando as doações. Empresas privadas também se mobilizaram

Veneno é recolhido do Ribeirão Apertados

Trabalho da força-tarefa é mais uma iniciativa importante para salvar manancial, mas ainda há muito a fazer

‘Aperto’ deve ter fim neste sábado

Inauguração do Terminal Guaraituba deve desafogar o sistema de transporte coletivo de Colombo, na RMC

Psiquiatras para ajudar na solução de crimes

Casos envolvendo crianças chocam a sociedade; especialistas alertam que é preciso levar em conta doenças mentais nos assassinos

Capital arrecada 450 ton. para doação

Roupas, sapatos, comida, material de limpeza e água são levados todos os dias para municípios de Santa Catarina

Quem deve julgar os índios do Brasil?

Especialistas debatem se responsabilidade é da Justiça comum ou Federal

Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados