VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
Cadastre-se pelo Facebook
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Olá
Assine já para continuar a ler a Folha de Londrina.
Para identificá-lo como assinante, precisamos do seu email e CPF.
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Cadernos Especiais
23/10/2008

Um chinês que não come cachorros

QR Code
Enviar por Email
Compartilhar
Twettar
Linkedin
Fonte
Comunicar erro
Ler depois
A terapeuta ocupacional Sara Dias Sampaio explica que os preparativos começam 30 dias antes
A decoração estava por toda casa. Na porta de entrada, uma brincadeira com os doentes por cachorro

  Em 2006, um chi­nês em pas­sa­gem pe­la ci­da­de foi até a fes­ta de Fi­fi. Fi­cou en­can­ta­do e fo­to­gra­fou ca­da de­ta­lhe. ‘‘No meu ­país co­me­mos ca­chor­ros. ­Aqui vo­cês fa­zem ­festa’’, re­cor­da Sa­ra de uma fa­la do inu­si­ta­do con­vi­da­do.
PUBLICIDADE

  Ele con­tou que não co­me ca­chor­ros. ‘‘Mas não dei­xa­mos a Fi­fi dan­do so­pa ­não’’, brin­ca a der­ma­to­lo­gis­ta Ewal­da Stahl­ke.
  Na fes­ta des­te ano, um car­taz anun­cia­va: ‘‘Che­ga de ca­chor­ro-­quente’’. Vir­gi­nia ex­pli­ca: ‘‘Ter hot dog em fes­ta de ca­chor­ro se­ria mau gos­to. Não com­bi­na.’’ (R.U.)
NOTÍCIAS RELACIONADAS
PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO

HISTÓRIAS

Alguma coisa está fora da ordem

Qual é a boa

Repertório caipira

CENA

Indiferença

15 minutos

Bye, bye, Amambai

Geração mp3

Para relaxar

Teoria revolucionária

Exposição que estréia hoje conta a vida e o trabalho do naturalista Charles Darwin

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados