VOLTAR PARA HOME
Continue tendo acesso ao conteúdo da Folha
   ou   
para ter acesso ao melhor conteúdo do Paraná
VOLTAR PARA HOME
Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante Já sou assinante
Quinta-feira, 23 de Março de 2017
PAULO BRIGUET
Escritor e jornalista. Mora desde 1989 em Londrina. Trabalhou em diversos jornais, revistas e assessorias. Assina a coluna diária Avenida Paraná, na Folha de Londrina. Autor dos livros de crônicas "Diário de Moby Dick" (em parceria com o pai, Paulo Lourenço), "Repórter das Coisas" e "Aos Meus Sete Leitores". Casado com a jornalista Rosângela Vale, pai do Pedro, paulistano de certidão, pé-vermelho de coração. Conservador em política, liberal em economia, católico em religião. Em suma, um cronista em busca dos seus sete leitores.
Fale com Paulo Briguet
20/03/2017

O churrasco foi adiado


Shutterstock
Shutterstock


Meu amigo Chico Buraco, compositor de grande talento, procurou-me neste final de semana para mostrar duas novas canções, inspiradas na recente Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. No país em que nas últimas décadas a corrupção se tornou não mais uma ocorrência, mas o próprio sistema de governo, as músicas do Chico são um refrigério para a alma. Já que não adianta chorar, vamos rir:

ADMIRÁVEL CARNE PODRE

Vocês que fazem parte do churrasco
Eu tenho uma notícia de doer:
Aviso que foi tudo adiado
A carne tá mais podre que o PT

Fizeram uma bruta sacanagem
Trocaram o filé por papelão
E depois de uma tal picaretagem
Não tem mais boi sadio na refeição

Ê, ô, ô, carne estragada!
Povo otário, ê!
Comeu por que quis...

Lá fora a PF faz a limpa
E leva um montão para o xadrez
Os frigoríficos todos numa fria
E o Chefe esperando a sua vez

É que acabou a festa, meu amigo
Churrasco não vai mais acontecer
Não tem picanha, alcatra nem linguiça
Só tem mesmo patinho: e é você!

Ê, ô, ô, carne estragada!
Povo otário, ê!
Comeu por que quis...



*******

NÃO DEIXE O ESQUEMA MORRER

Quando eu não puder mais cobrar minha propina
Quando as minhas verbas começarem a rarear
Pego a bufunfa que tá na Suíça
E tento uma anistia pro partido todo se safar

Eu vou ficar no foro privilegiado
Pagando o meu advogado
Pra tumultuar

Antes de me evadir
Deixo ao gatuno mais novo
O meu pedido final:

Não deixe o esquema morrer!
Não deixe o esquema acabar!
Governo foi feito de grana
De grana pra gente roubar

Fale com o colunista: avenidaparana @ folhadelondrina.com.br
Paulo Briguet
23/03/2017

São José, o santo silencioso

O homem que não precisou dizer uma palavra para fazer o bem

23/03/2017

Quem ri por último

A ideologia política quer acima de tudo que você zombe da própria realidade

22/03/2017

O Ouro Verde nasce de novo

Cronista da Avenida Paraná visita o cine-teatro restaurado

22/03/2017

Sr. Luciano e Sr. Mercúrio

Homenagem aos dois zeladores do Palácio do Comércio

21/03/2017

A lanterna da misericórdia

PUBLICAÇÕES ANTERIORES
Assine a Folha de Londrina
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Folha de Londrina - Todos os direitos reservados